A minha primeira vez!

Big Cock

A minha primeira vez!
Na altura andava eu no 7º ano, estudava em Lisboa, tinha uns 13, 14 anos, era um rapaz alto para a minha idade. Moreno olho verdes e já era bem constituído fisicamente, pois já praticava desporto desde os 8 anos. Era o meu 1º ano naquela escola e não conhecia ninguém. Ao passar do tempo fui conhecendo gente nova, fazendo bastantes amigos e conhecidos mas era um rapaz tímido e muito calado. Diziam-me que eu era muito misterioso, pois andava sempre na minha e não me chateava com ninguém.
Certo dia estava eu descontraído num dos bancos da escola, a ouvir musica no meu walkman e a comer umas batatas de pacote quando vejo uma rapariga a aproximar-se de mim. Quando reparo que é uma colega minha chamada Célia, ao qual nunca tinha dado muita conversa. Era uma rapariga muito bonita, morena, olhos verdes e um corpo já bem definido. Põs conversa comigo e quis me conhecer melhor, descobri que não tinha ninguém na altura e que vivia perto do meu bairro. Começámos a ir todos os dias acompanhados para a escola. Até que sem me aperceber comecei a ter sentimentos por ela e ela por mim. Quando fui a ver já andávamos aos beijos e apalpanços atrás do pavilhão de física, mas nada demais, uma mão no rabinho, um chupão no pescoço, beijos intensos e cheios de paixão, mas ficava sempre com a ideia de que a Célia queria mais, ficando muito corada e ofegante, mas não mo permitia, com muita pena minha, pois eu estava mais que preparado para o passo seguinte, com o gajo quase a sair-me pelas calças.
Namorávamos há coisa de 3 meses, quando ela me convidou para ver um filme em casa dela. Fiquei hesitante por um tempo mas ela disse-me que íamos estar sozinhos e que não havia problema algum. Quando cheguei a casa dela, ela pôs o filme e preparou umas pipocas para a gente comer. O filme não era grande coisa e estávamos os dois bastante fartos daquilo. Ela encostou-se a mim e passados 10 minutos acabou por adormecer no meu peito virada de costas para mim. Estava tão farto daquele filme que acabei por desligar o vídeo e a televisão e como ela tava a dormir, pensei em ir-me embora. Mas ao tentar tirá-la de cima de mim, sem querer toquei com a mão na mama esquerda dela e fiquei cheio de medo que ela acordasse e pensasse que eu tivesse a aproveitar-me da situação, mas ela permaneceu a dormir. O problema foi que não resisti e continuei a apalpa-la. Tive que aproveitar LOL. Comecei a ficar louco tocar aquelas mamas pela primeira vez, era fenomenal e vi que ela não tinha sutiã, melhor ainda. Continuava eu muito gentilmente a apalpar o material quando vejo as mãos dela a pegarem nas minhas e com um movimento mete as minhas mãos por baixo da camisola e diz:
Ela: – Assim é melhor…
Nem sabia o que pensar.. Se devia pedir desculpa ou se devia continuar, mas tava a saber bem tocar numas mamas pela primeira vez, decidi continuar. Ela estava ofegante e suspirava com prazer e eu cheio de tesão. Ela levanta-se e senta-se no meu colo, começa a provocar-me e a dizer-me ao ouvido:
Ela: – achas bem aproveitares-te de uma rapariga indefesa?
Eu: – Desculpa, não me queria aproveitar, simplesmente não consegui resistir ao teu corpo, desejo-te já faz muito tempo..
Ela: – Não faz mal, na verdade já te queria há muito mas nunca tive coragem de continuar…
Dito isto, beija-me loucamente e tira-me a camisa, depois eu tiro-lhe a camisola e vejo aquelas mamas pela 1ª vez, as minhas mãos pareciam imans em direção às mamas dela, tão suaves, preenchiam-me as mãos, não resisti ao acaricia-las e por fim ao lambelas. Não podia acreditar no que estava a acontecer, mas já não podia aguentar, apalpar aquele cu, sentir aquele papo de cona por baixo das calças e ela a apalpar-me o caralho rijo como pedra estava a deixar-me louco de tesão. Ela levanta-se e leva-me para o quarto. Atira-me para a cama e poe-se em cima de mim, beija-me loucamente como nunca, lentamente vai-me beijando o peito ate chegar la abaixo. Tira-me as calças cheia de pressa, mas deixa ficar os boxers e aos poucos vai-me provocando, beijando-me o caralho por cima do tecido, um beijo ali uma mordida aqui, que tentação! Quando tira os boxers com a sua língua lambe-me de cima abaixo ate chegar à cabeça e começa-me a chupar , aquele ritmo tava a dar cabo de mim, cada vez mais chupava com mais vigor, mais fundo, para cima e para baixo, que maravilha. Já não aguentei mais, fi-la parar e deitei-a na cama. Era a minha vez. Tirei-lhe as calças, vi uma queca de renda onde se transparecia o papo de cona, LINDO! Um pouco de pelo e um odor excitante! Beijei-a intensamente e disse-lhe que a desejava, ao que ela me responde com um ofegante sou toda tua! Nem pensei duas vezes, agarrei-lhe aquelas mamas beijei lambi loucamente e fui descendo. Chegando la abaixo, senti que já estava bastante molhada, abri-lhe as pernas e não hesitei em mergulhar a língua naquela doce coninha. Que néctar! Pensei que para a minha primeira vez não podia ser melhor! Lambi, beijei, chafurdei à grande, lambi-lhe o clitoris quando a oiço a gemer bem alto, a puxar-me os cabelos a fechar as pernas á volta do meu pescoço… Veio-se! Deixou-me todo melado. Engoli aquele néctar com gosto e prazer, estava pronto para o melhor. Fui acima e beijei-a e perguntei-lhe:
Eu: – Tens a certeza que queres fazer isto? Achas que estas pronta?
Ela: – Sim tenho, só contigo o quer o fazer..
Deitei-me por cima dela, e abri-lhe as pernas, posicionei-me e estava com o gajo mesmo a entrada, aproveitei os sucos dela e melei o caralho para não custar tanto a entrar. Meti a cabeça, custou um pouco pois estava muito apertado e a doer-lhe, mas aos poucos entrava mais e mais. Que cona mais apertada, mas sentia tao bem que continuava a meter cada vez mais fundo ate sentir o himan a romper, a partir dai foi muito mais fundo e começava a meter cada vez mais fundo. Doía-lhe um pouco mas passado um tempo a dor começou a desaparecer e a ser substituído por prazer. Começava a fode-la com mais vigor, dava-me um gozo enorme ver o meu pénis a entrar e a sair dela, sentir aquela cona quente a e melada a apertar-me o caralho e a suga-lo para dentro era demais. Comia-a com vigor e ela gemia e gritava para a comer, senti a cona dela a tremer e enquanto eu enfiava ela da-me um abraço muito forte e vem-se outra ves. Sentia a cona dela a contorcer-se no meu pénis. Quase me esporrei todo. Trocámos de posição, ela por cima de mim, eu já nem precisava de fazer nada ela cavalgava em cima de mim com gosto e prazer, enfiava-me todo dentro dela ate aos colhoes, que bela imagem ver aquelas mamas a saltar para cima e para baixo bem na minha cara. Deitei-a na cama de barriga para baixo, não hesitei em dar-lhe umas dentadas e lamber aquele cu, enfiei naquela cona por tras, que vista dos deuses!!! Não há nada melhor neste mundo que veres o teu pénis a entrar e a sair de uma vagina, e ao mesmo tempo veres o olho do cu dela a piscar para ti! Dei-lhe com força, já estava a chegar ao meu limite, deitei-me por cima dela, dei-lhe uns beijos no pescoço, agarrei-lhe nas mamas e acabei por me esporrar todo bem fundo daquela coninha quente. Gritava de prazer! Deitei-me ao lado dela e abracei-a junto com o seu corpo junto ao meu, estávamos ofegantes, beijamo-nos, ri-mos e dizia-mos um ao outro o quão bom foi e o quanto nos amava-mos. Acabamos por adormecer durante umas duas horas.
Desde esse dia a nossa relação mudou completamente, provocamo-nos a toda a hora, ate nas aulas . Pareciamos dois coelhos a comerem-se. Quando desse vontade la tínhamos de arranjar um sitio para tirar a tesão quer fosse em parques, elevadores, casas de banho de centros comerciais, zonas remotas, enfim era onde calhava. Andámos assim durante mais de 6 meses, até que ela teve de sair do país, juntamente com os pais. Nunca mais a vi, mas nunca me hei-de esquecer os momentos que passei com ela.

Bir cevap yazın

E-posta hesabınız yayımlanmayacak. Gerekli alanlar * ile işaretlenmişlerdir