Meu irmão, minha amiga e eu na plateia.

Meu irmão, minha amiga e eu na plateia.
Olá! Tenho 18 anos, sou loira, 1,60 metros, pernas grossas e bumbum empinado que chama a atenção dos homens na rua. Minha melhor amiga é a Jéssica, também 18 anos, cabelos loiros e também é bem servida de corpo.

Tenho também um irmão, Pedro, que agora está com 21 anos. Mas a história que eu vou contar aconteceu há alguns anos, quando Pedro havia acabado de servir o exército. Meu irmão, até os 18 anos, era franzino e pouco chamava a atenção da mulherada, mas após sair do serviço militar, havia ganhado muita massa muscular. Estava grande e forte, com um abdômen trincado que deixava as meninas loucas! E Jéssica logo se ligou no homão que Pedro se tornara e ficava me alugando para que eu o agitasse pra ela.

Um dia, meus pais tiveram que viajar a trabalho e eu e meu irmão dormiríamos sozinhos em casa. Era a chance que minha amiga Jéssica esperava para ficar com ele! Quinta à noite, ela veio até em casa “estudar”. Pedro estava em seu quarto ouvindo música. Bolei um plano bem básico, era agora ou nunca!

Disse para Jéssica trocar de roupa e vestir um shortinho branco que eu tenho e uma blusinha e, principalmente, que não usasse calcinha e sutiã. Ela até tentou resistir, mas eu disse que se não fosse assim, nada feito! Ela foi ao banheiro e voltou com esse modelito que realçava todas as curvas de seu corpo, principalmente o contorno da buceta, fazendo um autêntico capô de fusca.

Confesso que meu lado bi até aflorou vendo aquela rachinha à mostra e dois biquinhos dos seios que pareciam que iam furar o tecido fino da blusa. Jéssica estava bem gostosa! Pedi para ela ficar no banheiro e chamei meu irmão com a desculpa de um defeito no computador.

Quando Pedro entrou no quarto, ela saiu do banheiro enxugando os cabelos como se tivesse acabado de tomar banho. Tudo combinado é claro!

Pedro se virou e colocou os olhos nela, pude quase que sentir o cheiro dos hormônios de seu corpo entrando em ebulição. Seu pênis deu sinal de vida imediatamente entrando em uma ereção relâmpago deixando-o desconcertado, pálido, mudo… Eu resolvi colocar lenha na fogueira e disse: “Fala a verdade maninho! Ela é ou não uma gatinha?”.

Meu irmão gaguejando respondeu: “Nossa Jéssica! Como você cresceu! Tá linda mesmo!”. “Você também tá um gato!”. Falou minha amiga não conseguindo mais tirar o olho da enorme barraca que se armara sob o short de futebol que meu irmão vestia.

Eu escancarando de vez disse: “Um gato? Ele tá é muito gostoso! Levanta, ou melhor! Tira a camisa pra ela ver o tanquinho! Tira Pedro! Vai logo!”…

Pedro entendendo o recado argumentou: “Eu tiro se ela também mostrar alguma coisa pra mim!”. Jéssica então: “Mas você vai tirar a blusa e eu vou só levantar a minha bem rapidinho, tá?”.

Pedro meio desapontado concordou e retirou a camisa. Eu malandramente, fiquei atrás de Jéssica e quando ela levantou a blusa, acabei de puxar a peça sem quase nenhuma resistência dela. Expondo por completo seu peitos rosados!

Meu irmão estava com o pau super duro. Minha amiga naquela hora já deveria estava com a buceta pingando, então eu disse: “Vem pegar Pedro, vem!”.

Jéssica não disse nada, apenas deu uma risadinha, como se mostrasse que o sinal estava verde… Daí, Pedro veio como um lobo, eu dei um empurrão nas costas nuas de Jessica jogando literalmente ela pra cima dele que caiu de boca nos peitos de minha amiga. Eu me sentei na cadeira do computador e fiquei assistindo os dois.

Jéssica estava deitada de costas pra cama com Pedro em cima chupando seus peitos. De repente meu irmão colocou os pés de Jéssica em cima de seus ombros e retirou seu shortinho, jogando ele na minha cara! Todos riram…

Ele abriu suas pernas e foi com a boca direto na xaninha ensopada da minha amiga que urrava de tesão. Ficou chupando um tempo, fazendo a garota gozar várias vezes! Era chegada a hora de Jéssica retribuir o favor. Pedro a puxou pelos braços, colocando-a sentada na cama, ficou de pé diante dela que entendendo o recado, começou a tirar os seus shorts.

Confesso que meus batimentos aumentaram nessa hora pois seria a primeira vez que eu veria o pau duro do meu irmão assim “in loco”. Jéssica não perdeu tempo, baixou tudo e pulou na sua frente uma bela rola de mais ou menos 19 centímetros, grossa, com veias enormes e muito, mas muito dura. Minha amiga tentava em vão colocar aquele pau, pelo menos até a metade, na boca…

Agora era Pedro quem gemia. Um gemido forte, de homem, que me deixara completamente zonza. Eu não aguentava mais! Abaixei meu shortinho com calcinha e tudo, deixando minha bucetinha à mostra pra quem quisesse ver e comecei a mais alucinante siririca de minha vida.

Meu irmão me vendo ali, com a buceta arreganhada, parece que ficou com mais tesão ainda… Eu estava com dois dedos enfiados dentro dela e Jéssica gemendo como uma puta! Ele não aguentou! Jogou minha amiga na cama, colocou a menina em posição de frango assado e cravou a rola sem dó. Eu ali, vendo tudo. Meu grelinho nessa hora estava duro feito pedra. Jéssica urrava a cada estocada daquele cacete enorme que sumia em sua buceta.

Ficaram ali trepando por mais alguns minutos, enquanto eu me tocava de forma alucinada, no fundo eu estava doida para entrar na brincadeira! O meu tesão era absurdo e não ia demorar para eu atingir o orgasmo, e quando ele veio eu quase vi estrelas… Quase que ao mesmo tempo meu irmão também gozou e foi nos peitões de Jéssica! Vou confessar pra vocês, eu nem cheguei a transar naquele dia, mas ficar na plateia me proporcionou o tesão mais intenso da minha vida.

Bir cevap yazın

E-posta hesabınız yayımlanmayacak. Gerekli alanlar * ile işaretlenmişlerdir