O INÍCIO

O INÍCIO
Olá, sou o Afonso, actualmente com 41 anos, corpo de estatura média, olhos azuis, cabelo loiro, um rabinho engraçado é um pau normal, cerca de 15 cm.

Isto passou – se tinha eu 14 anos, andava na escola na Portela e na turma tínhamos alguns grupos, eu sempre tive a tendência de me juntar aos mais velhos, mas por vezes andava com outros, certo dia o Francisco, o mais velho da turma, repetente, já com 17 anos convidou – me a mim mais outros 4 colegas para ir para casa dele jogar daqueles vídeo jogos da altura, assim o fizemos no final das aulas, eu o Francisco, o Germano, o Paulo e o Rui, o Francisco tinha uma casa grande, os pais eram abastados e tinham praticamente de tudo, esse dia passou e como gostamos combinamos voltar noutros dias.

Numa das idas à casa do Francisco e enquanto 2 estavam de volta do jogo, o Germano foi à mochila dele e saca de 3 revistas da Gina, revista pornografica da altura, e pergunta quem é que quer ver? O Francisco foi o primeiro a pegar, eu apesar de conhecer a revista, já tinha visto algumas, fiquei mais recolhido, mas a ver, os jogos ficaram para segundo plano, e já todos víamos as fotos de gajos a foderem com gajas, claro que a tesão começou a aparecer e em pouco tempo o Germano saca da pixota e começa a bater uma punha, o Francisco imitou o Germano e sacou de dentro das calças um CARALHO enorme (21 cm) e lindo de morrer, o do Germano era menor (18 cm) mas um belo caralho também, entretanto os outros começaram também a sacar das vergas e em pouco tempo estávamos os 5 a bater punheta para as revistas da Gina.

Sempre fui um pouco precoce, ou seja, eu ao fim de 5 minutos já me tinha esporrado, o Paulo e o Germano demoraram mais um pouco a gozar, depois foi o Rui, o Francisco já lá iam uns 20 minutos e continuava sem se vir, na brincadeira e sem ter a noção do que aí vinha perguntei ao Francisco se precisava de ajuda para gozar, quando me apercebi tinha aquele caralho descumunal à minha frente com o Francisco a dizer:

– Sim! Quero! Se queres ajudar podes ajudar…

Fiquei paralisado, todos a olhar para mim, e agora? O que faço? O Germano pegou na minha mão e levou-a até ao membro teso do Francisco, eu sem qualquer tipo de reacção agarrei naquele caralho tesudo e comecei a masturba-lo, (Foda-se! que belo caralho!) e ali estive mais uns 10 minutos a bater à punheta ao Francisco até ele se esporrar no chão da sala, por incrível que pareça, eu estava com o meu pau duro outra vez, tinha adorado a experiência, apesar da vergonha de ter o pessoal todo a olhar para mim e de já estarem todos com o caralho entesado e também quererem, mas ficou por ali, fomos todos embora.

No outro dia logo na primeira aula o Francisco veio ter comigo a perguntar se depois das aulas queria ir ver um filme por no a casa dele, já sabia o que ele queria, eu também queria, disse que tinha de ser só com ele, mas ele disse que quem tinha o filme era o Germano e também tinha de ir, como a minha vontade e a grande aceitei, a seguir às aulas lá fomos os 3, ao chegar o Francisco foi logo colocar o filme é o Germano já despertava as calças e punha o mangalho para fora, o Francisco fez a mesma coisa e em minutos estávamos os 3 despidos da cintura para baixo, o filme começou a rolar e o Francisco logo se pôs à minha frente a pedir ajuda, agarrei naquele caralho com vontade e punhetei, o Germano estava mesmo ao lado e com a mão esquerda agarrei o pau dele e comecei tb a bater à punheta, estava a adorar, 2 caralhos só para mim, no filme uma gaja começou a mamar no caralho do gajo e o Germano diz para mim: – mama nos nossos caralhos também puta! Coloquei – me de joelhos e pus o caralho do Germano na boca,tentei imitar a gaja do filme e pela primeira vez estava a fazer um belo broxe, depressa comecei a mamar o pau do Francisco, estava delicioso com eles a chamarem-me de puta e de paneleiro, que bom, de repente o Francisco diz ao Germano: – vamos comer o cu ao Afonso? Vamos enrabar o gajo! Confesso que não estava preparado, mas tinha vontade de levar no cu, então o Germano sentou-se no sofá, eu fiquei de 4 com o cu empinado a mamar o Germano e o Francisco veio por trás, cuspiu e começou a empurrar aquela cabeçorra no meu cu virgem, FODA-SE, não aguentei, tentou de novo e nada, doía muito, pedi para trocar, o pau do Germano era menor e a cabeça mais estreita engrossando depois, o Germano começou a empurrar e senti a cabeça a entrar, doía, mas dava para aguentar, pedi para meter mais e ele foi metendo, senti o meu cu a alargar todo, estava a doer mas uma dor boa, de prazer, foi metendo e tirando e passado pouco tempo senti os tomates dele a bater no meu cu, estava com o caralho do Germano todo enterrado no cu e a mamar o Francisco, o Germano não demorou muito a esporrar-se no meu cu, foi bom sentir aquele leite quente dentro de mim, hummm! Queria mais, pedi ao Francisco para tentar outra vez, e agora com o cu mais relaxado e lubrificado com a esporra do Germano a cabeça entrou logo, depois foi um pouco difícil levar com aqueles 21 cm na peida, mas consegui aguentar, pedi ao Francisco, FODE-ME, FODE O MEU CU, ESPORRA-TE TODO NO MEU CU, eles chamavam-me de puta, paneleiro, maricas, panasca e isso ainda me dava mais tesão, esporrei-me quase sem me tocar, o Francisco ainda esteve uns bons 10 minutos a me foder até se esporrar todo no meu cuzinho que quase já não sentia, fomos lavar-nos e passado uns 20 minutos já estava a mamar os 2 outra vez, só o Germano é que me voltou a foder, já não aguentei o caralho do Francisco outra vez.

Fiquei a ser a puta dos dois, quase todos os dias era enrabado por eles, dos outros do grupo só o Rui é que também me enrabou, ainda hoje em dia continuo a mamar e a levar no cu do Francisco, dos outros nunca mais tive noticias depois de sair da escola.

Bir cevap yazın

E-posta hesabınız yayımlanmayacak. Gerekli alanlar * ile işaretlenmişlerdir