O jogo do Brasil!

O jogo do Brasil!
Pois eu nunca ia imaginar que o Brasil ia perder aquele jogo. A gente estava vendo o jogo no projetor, Amarula no congelador, picanha, molho inglês, cebolas e tomates cortados à la vinagrete, camisinhas de menta, lubrificante, tudo a que tinha direito.
E S, minha paquera da semana, tarada que só ela, já veio provocando:
– Do pescoço para baixo, meia hora de Veet, não tem um pelinho… UUUUhhuuuuuuu… Passei óleo de amêndoas depois, e glossy de morango, na xoxota e no cuzinho… Hoje eu vou dar muitoooooooooo…
E eu não deixava por menos:
– Comprei um vibrador novo, vou te enfiar cu adentro enquanto te regasso a xoxotinha, vai ser dupla penetração e com vibração ainda, vou te fazer gozar tanto que vai fazer xixi descontrolada… UUUUUhhhhuuuuuu
E assim ia sendo a conversa, meia de pé de ouvido, meia em tom normal, aquele tipo de altura de conversa que quem vê sabe que a conversa é para atiçar, mas não consegue entender…
O que eu podia fazer para atiçar mais ainda aquele momento gostoso que prometia ser o fim de semana ? O Brasil ia ganhar, a gente ia para as quartas de final, todo mundo na Praça da República comemorando mais tarde, enfim… Já sei: S adora tomar uns tapas na bunda, bem dados, coisa de deixar vermelhaaaaa mesmo a bunda dela… De 4, pedindo, me bate que eu gosto, é difícil até segurar o gozo comendo S, ainda bem que dar uns tabefes naquela bunda branquinha, deliciosa, pele de seda, distrai um pouco, senão era mais um ejaculador precoce nesse mundo…
Apostei:
– Então vamos fazer assim: Se o Brasil ganhar eu posso te amarrar e colocar uma coisa na sua boca para você não gritar e posso te dar tabefes, beliscões, pingos de vela quente, todas essas coisas de site de sadomasoquismo, que tal ?
– Ah, querido, não apela, eu vou querer que o Brasil ganhe, eu adoro levar tapas na bunda…
– Então está combinado !!!
– Mas se o Brasil perder, coitadinho, eu fico sem meus tapas ?
– Sei lá… Aposta alguma coisa, só por apostar…
S tinha tesão em me fazer fio terra, tesão mesmo, era difícil segurar essa tara dela, bobeou, lá estava ela enfiando o dedo no meu cu até o talo, aposto que ia querer apostar alguma coisa desse tipo…
– Se o Brasil perder, eu quero depilar você com o Veet do pescoço para baixo que nem eu fiz comigo, vestir você de mulherzinha, fazer as unhas, maquiar, colocar peruca, e irmos no McDonalds depois do jogo desse jeito, comermos um MacTasty, batatinha, sorvete, coca 500, tranquilos, lá dentro, sem pressa…
– Hahaha, o Brasil não perde essa, tranquilo…
– Apostado ?
Opa, congelei… E se o Brasil perde ?
– Tenho minhas condições !
– Diga suas condições, querido… Quer dizer, querida… KKKK
– Primeiro, quero usar aquele óculos de sol enorme que você tem, aí juntando com a peruca tenho certeza que ninguém vai me reconhecer.
– Se alguém reconhecer, você conta que perdeu a aposta, ora ora ora… KKKKKK
– E tem que ser em um MacDonalds que a gente não está acostumado a ir, para não ter atendente que conheça a gente rindo, nem cruzar com gente amiga, essa aposta é coisa só nossa !!!
– Pode entrar no google, e escolher um beeeemmm longe, vai ter que sair daqui menininha e voltar menininhaaaa… Ai que tesão, eu vou te comer de menininhaaaaa… Estou toda molhadinha, olha só…
A conversa parou !!! Aquele líquido que S tem, bem molhado, bem transparente, doce, é muito, muito muito muito gostoso… Empurrei sua calcinha para o lado, e lhe chupei MUIIITTTOOOO… Ela gozou umas 3 vezes pelo menos, eu já peguei a manha onde massagear com os dedos dentro, a quantidade de dedos que deixa ela doida, a pressão que eu devo fazer, cada mulher tem um ajuste, mas depois que você pega a manha daquela mulher, você destrói a capacidade delas de caminhar por umas 2 horas, fazendo acontecer…
Ela estava bambinha, sentada no puff verde da sala, mas ainda teve tempo de dizer alguma coisa antes de praticamente desmaiar no puff por meia hora antes do jogo começar:
– Mas se eu ganhar vou te comer com o vibradorrrrrr…
E capotou…
Meuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuu… O Brasil PERDEUUUU !!!
S não cabia em si de alegria… Eu me resignei,
já tinha saído em um carnaval vestido de mulher,
normal, a gente é livre, não deve nada a ninguém,
vamos à farra…
– Primeiro as unhas, que no banho eu tiro o que ficar à mais na pele… Já foi dizendo ela…
– Peladooooo !!!
Enquanto ela me deixou com Veet do pescoço para baixo, ela teve umas idéias malucas, e foi numa loja aqui perto e comprou unhas postiças, longas, já feitas. Sinceramente, achei muito mais prático, afinal depois era só descolar aquela bagaça, porque se pintasse as unhas, eu não mordo as unhas, mas minhas unhas eram normais, não ia ficar legal…
Banho tomado, sem pelos no corpo, lá vai ela tirando as coisas da sacola de compras e espalhando em cima da cama… Putz, ela levou à sério a aposta… Vishhh
Hidratante e perfume de mulher…
Unhas postiças… Pronto…
Cílios… Pronto…
Peruquinha channel… Pronto…
Scarpin 40 preto… UUUUUhhhhuuu… Pronto…
Meia calça preta com desenhos florais… Pronto…
Pretinho básico… Pronto…
Calcinha, sutien com enchimento, espartilho e liga combinando… Pronto…
Eu corto meu cabelo curto, isso até ajudou a fixar a peruca… Me colocou cílios, maquiou, perfumou, foi me vestindo, parecia o dia do carnaval, mas tudo era muito feminino, não era de onda, a coisa foi tomando forma, olha, difícil alguém pegar alguma coisa, se eu ficasse quieto, apenas sentado, de óculos, numa mesa. Ninguém me reconheceria, acho que nem minhas irmãs… Claro que se eu falasse, tentasse andar rápido, ou fizesse movimentos, eu me entregava, mas a idéia era apenas ir em um McDonalds…
De repente, eu todo depilado, montado, como se diz, ela pára tudo antes de me vestir a vestuária final e começa a me dar uma chupada com uma vontade que poucas vezes eu vi nela… Nem perguntei nada, apenas curti, ela adora porra, gozei sem dó naquela boquinha gostosa, ela engoliu tudo, veio me beijar como sempre, ela sempre provoca, nem ligo mais, eu curto ela, as doideiras dela, enfim…
Agora, deita com as pernas abertas…
Foi soprando geladinho no meu saco, virou saquinho na hora… UUUUUUUuuuuu…
Não sei de onde, tirou um esparadrapo desses de cirurgia, meio transparente, meio cor da pele…
E colocou entre o fim do meu saco e a parte da pele que fica em cima do pinto, de lado, como se fosse um band-aid gigante, de um lado do saco… Repetiu do outro lado…
– Assim as bolinhas ficam aqui dentro da cavidade natural do corpo e não vão fazer volume quando a gente colocar o vestinho, queridaaaaaaaaa…
E eu só vendo até onde ia a produção…
Pegou meu pinto, que ela tinha acabado de chupar, ainda mole, enrolou a tal fita cirúrgica nele como se fosse um guidão de bicicleta de 10 marchas, deixando apenas a pontinha da pele que recobre a cabeça quando o pinto está mole, sem colocar fita…
– Assim se quiser fazer xixi vai dar… e ria…
Deitou o pinto-guidão de bicicleta para baixo, em cima dos esparadrapos que seguravam as bolas e o saquinho em cima, e colocou um esparadrapo só, cortado em forma de triangulo, e aquilo virou uma testa de xoxota, com a pontinha do pinto embaixo… Realmente, se o pinto não ficasse duro, com uma calcinha em cima, e um vestido, ninguém ia dizer que eu tinha pinto… A única coisa que eu pensei é que no próximo carnaval eu ia fazer aquilo e colocar uma calça de malha branca, quem visse nunca ia imaginar que ali tinha um pinto de tamanho médio e duas bolas razoáveis, escondidíssimas…
Aí me fez ir ao banheiro, testar se dava para fazer xixi, sentado, claro…
– SENTADA !!! Corrigiu ela… E riaaaaaaaaa…
Me sentei, consegui fazer xixi sem lambanças, saia pela ponta normalmente, me sequei, até eu ri…
Me colocou calcinha preta, espartilho, apertou muitttooooo, porra, como elas aguentam ? Meia calça chique, liga, sutien com umas almofadas, vestido preto combinando, e eu exigi os óculos enormes que ela tinha…
Meuuuu… Ninguém me reconheceria… Escolhi um McDonalds qualquer que a gente nunca vai, e fomos… Não falei com ninguém, foi o combinado, ela comprou tudo, combinamos andar devagar, o sapato que ela arrumou não escorregava nem tinha salto alto exagerado, normal…
Eu estava na boa, a gente conversando normal, como se eu fosse mesmo uma amiga dela… ATÉ QUE…
Essa doida me chama para irmos no banheiro, depois que a gente comeu… Putz, eu ia no banheiro FEMININO, cacete…
Eu não tinha muita opção… Simplesmente, acompanhei ela… e fui…
Aí começou a merda…
Ela entrou comigo em um desses reservados de aleijados, que cabem tranquilos 2 pessoas, ajoelhou no chão, levantou meu vestido, abaixou a meia calça, colocou a calcinha de lado, cuspiu no dedo… E me enfiou o dedo no rabo, com uma cara de tarada que não tinha tamanho…
Tentava manter o dedo em mim e subir para me beijar, meio que dava, meio que não dava, ficamos assim uns bons 15 minutos, meu pinto preso não conseguia ficar duro, mas queria, era muito doido, aquele dedo mexendo… Ah, filha da puuuutaaa, me aguarde…
Fomos embora, ela me provocava, passava a mão onde era o meu testão, meu capô de fusca, como dizem, e dizia:
– Tadinho, ele quer sair para fora ???? Brasil-sil-sil…
Chegamos em casa, já havia anoitecido, bom, eu achei que tinha terminado a brincadeira, fui tirando o vestido, ela disse:
– Opa !!! Eu não terminei não senhorita…
E me agarrou, me beijou, me fez chupar ela mais uma vez, toda ensopada, ela curtiu muito, deu para ver, gozou muito, e gemendo alto, e várias vezes seguidas, mais rápido que o normal dela…
E depois de gozar muito, pegou o vibrador, me deitou de barriga para cima com as pernas abertas, lubrificou o dito cujo, ligou a vibração, e me comeu… Comeu muito, mas muito mesmo, às vezes ela vinha com a xoxotinha em cima da minha cara, e eu a chupava, mas ela saia antes de gozar, às vezes eu a virava de barriga para cima e chupava ela e colocava os dedos, assim ela não escapava, eu a fazia gozar gostoso, em compensação eu ficava com a bunda para cima e ela se divertiaaaaa….
Pois foi assim que do nada, ela gemendo, gozando, que eu percebi que ela tinha achado um ponto chave dentro do meu cu, e ela mexia e remexia e ali era foda, eu sei que depois de uns 25 minutos mais ou menos dessa orgia toda, eu gozei sem encostar no pau… Gozei mesmo, não tenho vergonha de dizer não, ensopei a barriga dela de porra, e não foi pouca não…
Só que eu não queria parar, estava fazendo ela gozar muito também, ela gemia gostoso demais, eu sei que depois de uns minutos, eu gozei de novo…
Ela parou, me colocou de barriga para cima, olhou sério para a barriga dela cheia de porra, foi me aproximando do meu rosto, eu entendi, não fiquei com frescura, chupei tudo, mas não engoli, a beijei e passei tudo para ela, ela engolia como se fosse sorvete de trufas, cara de menina, coisa linda de se ver, sou apaixonado por ela…
E eu de barriga para cima, ela foi me colocando 2 dedos, 3 dedos, o vibrador tinha laceado bem meu cu, não nego, estava muito louco, eu desesperado com aqueles esparadrapos segurando meu pau e ele querendo ficar duro e não tinha jeito, estava bem preso, S tem a mão bem delicada, pequeninha, ela é toda meiga, de repente, uma dor mais forte, passou…
Ela estava com a mão inteira dentro de mim !!!!!!!
Mexia devagarzinho, para dentro e para fora, e girava um pouquinho para a esquerda e para a direita, e apontava para cima, desespero, tesão, pinto preso, a mulher mais linda do mundo te comendo, eu sei que foi subindo um tesão que não dava para segurar, eu gozei muitooooo mesmo… E eu só queria parar e tirar tudo aquilo e dormir, e esquecer do mundo, e foda-se tudo, tinha sido muito bom, ela que me pedisse para fazer de novo que eu topava na hora, não era viadice, era maluquice, fetiche de dois seres VIVOS, mas gozar pelo cu estava muito, muito gostoso… E veio de novo, e de novo, até que eu disse a ela que eu precisava parar, que já tinha ido ao céu e voltado, que eu só queria ficar ali de conchinha abraçando minha princesinha…
Eu estava desmaiado, gozei umas 4 vezes, de verdade, sem encostar no meu pau, só o tesão daquela mulher linda, macia, doce, encantadora, meiga, olhos de mel, a boca mais gostosa, o beijo mais encantador, me fazendo de objeto para realizar seus sonhos, olha, se você tiver uma amiga, namorada, mulher, amante, tarada, assim, deixe rolar, a satisfação que você dá a ela, e o carinho que recebe em troca, não tem nada igual…
– Bebê, eu me diverti muito, eu adorei, mas eu quero agora te dar banho, te livrar desse perfume de menininha, passar em você de novo a mistura de Polo e Kouros que eu tanto adoro em você, tirar esse esparadrapo sacana, soltar meu brinquedinho mais gostoso, chupar ele todinho, lamber esse meu saquinho como eu adoro, e perder minha aposta, pode ser ?
– Como assim, gatinha ?
– Ah, vamos fingir que o Brasil ganhou, vai ? Me amarra na cama, me fode de todo jeito que você puder, me deixa desmaiada nessa cama até tarde da noite, meu amorzinho… Eu precisoooooo… de beijos de você, homem, macho, safado, de seu olhar perverso sem dó da minha bunda, eu preciso de chineladaaaaaaaaaa…
E me olhou com seus olhos de princesa menina mulher pidona…
Eu já tinha gozado mais de 4 vezes, senhores, mas aquela vozinha doce, aquele pedido que atiça até um morto, só senti meu pau endurecendo muitooo debaixo daquele esparadrapo idiota, e assim meio morto, meio renascendo, num pique que eu mesmo nem sei de onde veio, só me lembro de responder:
– Você que vai me dar banho, é ??? VAMOSSSSS AGOOOORAA !!
O resto da noite foi tensa, porque eu descontei MUUIIITTTOOO tudo o que eu passei…
Ah, finalmente o dia amanheceu e fomos dormir, se todo dia for assim vou ter L.E.R. ( Lesão de Esforço Repetitivo, coisa de gente que mexe com teclado de computador o dia todo ) nos pulsos, de tanta chinelada que eu dei, de tanto que eu girei meus dedos dentro dela, de todo jeito que é possível imaginar…

Bir cevap yazın

E-posta hesabınız yayımlanmayacak. Gerekli alanlar * ile işaretlenmişlerdir