MINHA BUCETINHA É SÓ PAPAI…E AGORA DO TITIO.

MINHA BUCETINHA É SÓ PAPAI…E AGORA DO TITIO.
Até alguns dias atras eu tinha fama de bis**tinha, mas na verdade era virgem, agora trepo com meu pai, já dei até o cuzinho para ele e minha sede por sexo só aumenta. Papai, sempre foi um homem carinhoso comigo, mas a forma como ele faz sexo, pelo menos comigo, me deixou de certa forma surpresa. Claro que a forma como eu venho gostando cada vez mais desse jeito forte, másculo e intenso com que fazemos sexo, também é uma surpresa. A forma como gozei na ultima vez, tomando tapa na cara e sentindo ele socar aquele pau grosso e gostoso na minha bundinha, foi maravilhoso. Mamãe andava descontente, acho que ele andava com mais interesse em mim do que nela, então falei pra ele foder ela bem gostoso e pensar em mim, ele agarrou meu rosto, me chamou de vadia e me deu um puta beijo. Naquela noite, depois que todos dormiram, corri para a porta do quarto de papai, queria ouvi-los transando.

Mamãe -Ué, oque foi que esta vindo encostar esse pinto duro em mim?

Pai -Vai reclamar ou vai me ajudar a resolver esse probleminha?

Mamãe -Andou vendo porno safado?

Pai -Nem te falo oque andei vendo..kkk. Vem cá vem, sente o gostinho dele na sua boca.

Queria tanto poder ver, ajudar mamãe a cuidar daquele “problema”.

Pai -Isso, assim, agora engole tudo minha safadinha.

Mamãe -Hummmm, nossa ele esta trincando de duro.

Pai -Então chupa bem gostoso, deixa ele bem babado que quero você cavalgando nele.

Mamãe -Safado, delicia.. hummmm

Ouvindo eles conversando, a imagem daquela cena se formava na minha cabeça, e entre minhas pernas eu queria aquele pau grosso me arrombando.

Pai -Vem, senta agora…. isso.. devagar.

Mãe -HUmmm, ai que delicia de pinto amor. Ai

O barulho da cama mexendo ecoava, via claramente minha mãe sentada naquele pau, para frente e pra trás, ele pegando nos peitos dela e apertando, ela cravando as unhas no peito dele.

Mãe -Ai amor… vou gozar.. ahhhhh, asssim… ahhhhhH Aiiiiiiiiiiiii AHHHHHHH

Pai – Goza tesão, goza gostoso nesse pau.

Mãe -Ai caralho… nossa! precisava disso.. que delicia. Mas e você amor, não gozou?

Pai -Não, vem mamar agora.. mama no papai.

Mãe -hummmm.. me da leitinhho então papai.

Ouvia ele gemendo, a boca dela engolindo aquele pau, sugando e babando sobre ele.

Pai -Isso.. assimm… ahhhhhh, ahhhh,, vou encher sua boca, engole,,, ahhhh AHHHHHHHHHHHH

Gozei junto com papai, com 2 dedos dentro de mim, sentada na porta do quarto deles, mas não tive tempo de saborear, ouvi um barulho e me levantei rápido e fui correndo ao banheiro. Pouco tempo depois meu pai chegou na porta.

Pai -A putinha do papai ouviu tudo que queria?

Cruzando minhas pernas, como se apertasse minha buceta, respondi.

Filha -Tudo, ouvi tudo, queria entrar lá e participar com vocês pai.

Pai -Então vem aqui, sente o gosto da sua mãe, vem… põe ele na boca.

Olhei para ele e me ajoelhei no chão, seu pau estava mole, todo melado, segurei e lambi as bolas, senti o gosto da buceta de mamãe, ela deve ter ficava toda melada, lambi seu pau até a cabeça e abocanhei, senti ainda o o gosto da sua porra misturado com o gosto da minha mãe…. ai como eu queria estar com eles, foder com eles.

Filha -Pai, delicia seu gosto com o da mamãe, porra, como eu queria estar no meio de vocês.

Pai -Putinha, gostou do gostinho da buceta da mamãe né?

Filha – Amei pai. quero mais… quero sempre.

Pai -vamos ver minha putinha… agora vai pro quarto antes que ela venha atrás de mim.

Beijei meu pai e fui pra quarto. Minha bucetinha estava encharcada, os pensamentos que vinham em minha mente eram depravados demais, mas eu não queria saber, queria apenas poder sentir tudo que eu tinha vontade. Me masturbei de novo com o gosto dos meus pais na boca e gozei deliciosamente… adormeci pouco minutos depois.

No domingo recebemos a visita do meu tio, irmão do meu pai, junto com a família, meu primo e minha tia. O dia tinha tudo para ser ótimo, muitas risadas, titio já chegou me paparicando, afinal ele é meu padrinho, me abraçava, me beijava e eu aproveitava para ficar me encostando nele. Meu primo também ficava rodeando, quando ficávamos sozinhos vinha com indiretas de vir em casa durante a semana pra me ver, eu dava esperança, mas desconversava. Titia era uma mulher muito bonita, muito bem cuidada, fazia academia, tinha um corpo deslumbrante e adorava mostra-lo, mas pelas conversas que eu interceptava entre titio e papai, ela não gostava muito de sexo, deixava a desejar e pelo que eu sabia, titio costumava pular a cerca com certa frequência. Mamãe e titia ficaram na cozinha, preparando vinagrete e outras coisas enquanto papai e titio ficaram na área de lazer, cuidando da churrasqueira, claro que foi ali que resolvi passar a maior parte do tempo. Ao redor da churrasqueira havia um balcão, papai e titio revesavam quem ficava do lado de dentro cuidando do churrasco equem ficava do lado de fora bebendo. Em uma das minhas visitas a churrasqueira, titio estava sentado em um banco, daqueles altos, próximo ao balcão e meu pai do lado de dentro, cheguei abraçando meu tio por trás, colocando a mão em seu peito, ele se virou e me colocou do seu lado, ficamos conversando um pouco, ele disse como eu estava bonita, como eu já era uma mulher formada, tirou sarro do meu pai sobre namorados e eu abraçada com ele, colocava a mão sobre sua coxa, ficava olhando o pacote em sua calça, em determinado momento, fui a frente dele e me encostei no balcão, falando para meu pai sobre a carne, se não tinha nenhuma no ponto, eu fiquei na ponta dos pés e apontava na churrasqueira para papai, podia sentir meu tio olhando minha bunda, eu estava de vestidinho e quando me inclinava ele subia bem pertinho da polpinha da minha bunda. Minha intenção era mostrar o máximo para ele e deixar titio com o pau duro para mim.

Filha – Aquela pai, não esta boa… e aquela.

Então me afastei e encostei em titio, senti seu cacete na minha bunda e me afastei mais, ele colocou a mão na minha cintura.

Tio -Vamos churrasqueiro, arruma uma carninha pra sua filha que ela esta morrendo de fome. Não tem nem uma linguicinha?

Filha -É pai, uma linguicinha bem gostosa.

Disse isso e dei uma reboladinha no cacete dele. Senti ele duro.

Olhei para titio sorrindo e voltei ao balcão. O resto do dia foi de provocação, hora para titio, rora para meu pai, quem estava do lado de fora do balcão era meu alvo, claro que papai, enfiava a mão por baixo do meu vestido, chegou a enfiar o dedo dentro de mim e lamber. O dia foi maravilhoso, me diverti muito deixando titio maluco.

A semana transcorreu tranquila até a quinta-feira, eu costumava ficar sozinha a tarde e a campainha tocou, ja imaginei meu primo, o taradinho tinha vindo pra querer me comer. Abri a porta e…

Filha -Tio? que surpresa.

Tio – Oi amor, estava aqui perto e pensei em fazer uma visita.

Filha -HUmmm.. que honra tio.

Ele passou a mão pela minha cintura, me puxou bem colado nele e me beijou o rosto. Fiquei arrepiada com aquela pegada forte e o beijo molhado no meu rosto. Eu estava bem a vontade, shortinhos e camisetinha. Ele entrou segurando uma mão na minha cintura e a outra no meu ombro.

Tio -Sue, fiquei reparando em você domingo e realmente você esta linda.

Filha -Ficou tio?

Tio -Você sabe que fiquei Sue.. já é uma mulher.

Filha -Não sei tio, sou meio magrinha, a titia tão linda, mulherão.

Tio -Mas você tem um algo a mais Sue.. atrai os olhares.

Filha -Assim fico sem jeito tio, o senhor todo bonitão, falando assim de mim.

Tio -Mas é verdade, esta cada dia mais linda, cada dia mais….

Filha -Mais?? oque tio?

Tio -Ia dizer tentadora..kkk

Filha -Hummm, será?

Conforme íamos conversando, titio ia chegando perto, pegando em mim e eu encostando nele.

Filha -Adorei ficar com vocês na churrasqueira, pedindo carne…

Tio -Realmente, você no balcão pedindo comida estava…demais.kkk

Filha -Gostou, pontinha de pé.

Me virei de costas para ele e copiei o movimento, arrebitando a bunda e encostando nele. Suas mãos seguraram minha cintura.

Tio -Assim mesmo.

Me puxou um pouco mais para ele e senti seu pau na minha bunda.

Filha -Humm tio…

Tio -Oque foi Sue, esta igual domingo, não acha. Digo, você fazia desse jeitinho.

Filha -HUmmm. verdade tio, igualzinho domingo.

Rebolei colada nele.

Tio -Sabe que você fazendo assim…

Filha -Oque tem tiiio? é tão bom, não acha?

Tio -Muito bom, mas…

Filha – Adoro o mas…

Em pé na frente dele, passei uma das mãos pelo seu pescoço, ele escorregou a mão pela minha cintura até a barriga, fiquei na ponta dos pés novamente para poder sentir seu cacete.

Filha -Nossa tio.

Ele puxou com força meu corpo, sua mão na minha barriga subiu para meu peito. Gemi e deitei a cabeça de lado, sua boca escorregou até meu pescoço me beijando, lambendo, chupando. Sua mão agarrava meu peito inteiro, apertada e mexia. Eu gemia e rebolava nele. De repente me largou, me virou de frente, uma mão no meu pescoço, outra na cintura, me puxou forte, e me beijou, intensamente, forte, sua língua entrava na minha boca, me explorando, brincando com a minha.

Filha -Ai tio, nossa.

Tio -Sue, você me mata desse jeito. Esse corpinho, o gosto da sua boca.

Ele foi se agachando, descendo meu shorts e minha calcinha, quando passou pelos meus pés, levantou uma de minhas pernas e senti sua língua, subindo pelo lado interno da minha coxa, subindo até meu clitóris, ele explorava cada pedacinho da minha buceta, eu gemia, minha perna amolecia.

Filha -AI tio, que língua deliciosa.

Ele lambeu, sugou e chupou por alguns minutos e quando se levantou me ergueu do chão, me colocou sentada na mesa da cozinha, eu fui me deitando devagar e senti sua língua entrar dentro da minha buceta, ele me abriu e sua língua me explorava, sentia ela passeando , entrando e saindo de dentro de mim, descia até meu cuzinho e lambia.

Filha -AI tio, assim.. ai… vou gozar na sua boca… ahhhhh….. tiooooooo..ahhhhhh

Gozei e relaxei um pouco.

Tio -deliciosa Sue, seu gosto maravilhoso.

Filha -Agora me deixa sentir o seu tio.

Ele me tirou da mesa, eu me agachei,abri o ziper da sua calça e fui abaixando a calça e a cueca, seu pau saltou de dentro. Tinha uma cabeça enorme, inchada, levemente tortinho para cima. Segurei com uma mão, abri a boca e senti aquela cabeça enchendo minha boca. Eu apertava com os lábio e sugava aquele pau, enquanto minha mão segurava na base, punhetando ao mesmo tempo.

Tio -Ual Sue.. você sabe fazer isso diretinho.. porra.

Filha -HUmmmmm. delicioso.

Eu abocanhava, e sugava a cabeça, babando e deixando ele todo molhadinho… escorregava pela minha boca quente.

Tio -Porra Sue… para.. senão vou gozar amor.. para.

Filha -Goza tio, me deixa sentir o seu gosto.

Tio -Ainda não amor… ainda não.

Ele me levantou e foi me puxando para sentar no colo dele, mas cadeira deixava ele um pouco alto, então fui pelo lado, passei uma das pernas sobre ele, senti seu pau roçar minha buceta, ele segurou com uma mão e ficou passando na portinha, me segurou com a outra e me ergueu um pouco, quando desci seu cacete entrou dentro de mim de uma vez. Me segurou com as duas mãos por baixo do meu joelho me erguendo um pouco e começou a estocar, sentia seu pau trincando de duro dentro de mim, ele socava e me beijava.

Tio -Buceta quente do caralho amor…molhada.

Filha -Ai tio,que pau gostoso, grosso.. aiiii.. mete.. mete mais tio.. mete.

Ele se levantou me erguendo junto, se apoiou na mesa e me fodeu forte e fundo, socava com vontade até as bolas baterem no meu cuzinho. Minha buceta parecia uma piscina, enxarcada, escorrendo pelo pau dele.

Ele aumentou o ritmo e eu não aguentei.

Filha -Ai tio, vou gozar de novo.. aii…. ahhhh tio… ahhhhhhhh…Assimmmmm…AHHHHHH

Mal terminei de gozar e ele tirou o pau de dentro de mim, me colocou no chão.

Tio -Sente o gosto do tito agora safada. cachorra.

Abri a boca e abocanhei seu pau, já senti um jato ir direto na minha garganta, engasguei e tirei um pouco da boca, outro jato acertou meu rosto e pescoço, abocanhei de novo e a porra escorria de dentro daquele pau pulsando, eu mamava e olhava para ele.

Tio -Putinha do tio.. gosta de porra né sua cachorra… deliciosa.

Filha -Docinha tio,. hummmm

Eu engoli grande parte, lambia os lábios, chupei até que ele começou a amolecer na minha boca, limpinho.

Tio -Meu Deus que loucura..

Me levantei, ele se recompos…

Tio -Sue, sabe que não deve falar isso com ninguém né?

Filha -Claro tio, vai ser nosso segredinho.

Bir cevap yazın

E-posta hesabınız yayımlanmayacak. Gerekli alanlar * ile işaretlenmişlerdir